Comunicação

Valadas Coriel desde 2003 na saga que levou à abertura do Hotel Palácio de Verride Santa Catarina, o melhor pequeno hotel de Lisboa

O hotel Verride Palácio Santa Catarina abriu final e oficialmente no passado fim de semana.

Dois dias de festa neste Palácio recuperado no Miradouro de Santa Catarina, com muitos amigos, entre outros Gisela João, Mísia, Anne Therese de Kersmaeker, Jorge Salavisa,  Luísa Taveira e ainda de Ana Mendes Godinho, secretária de Estado do Turismo, Fernando Medina e Duarte Cordeiro, Presidente e Vice-Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Catarina Vaz Pinto, Vereadora da Cultura, Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, Rui Vilar, Chairman da Caixa Geral de Depósitos e ainda, Najib Balala, Ministro do Turismo do Quénia e embaixadores da Roménia, da ìndia, da Holanda e da Bélgica.

A Valadas Coriel & Associados esteve envolvida no projeto desde o início, início este que se apresentou muito pouco auspicioso.

Em 2003, já depois de Contrato-promessa celebrado com a Caixa Geral de Depósitos, a Câmara Municipal de Lisboa veio exercer o direito de preferência sobre o imóvel, por razões obscuras e por meios ardilosos. Outra pessoa que não o Kees Eijrond teria baixado os braços perante a conjugação de poderes fáticos, manobras de bastidores e pura arrogância que contra ele e este negócio se perfilaram, um verdadeiro roadmap de tudo quanto Portugal tinha de pior.

Durante 10 anos arrastaram-se processos contra a Câmara Municipal de Lisboa nos Tribunais Administrativos e contra a Caixa Geral de Depósitos nos Tribunais Civis, com vitórias sucessivas apesar da resistência obstinada dos demandados. Após muitos volte face e mudança de actores alcançou-se um acordo global e tripartido.  Embora tivesse já vencido na 1ª instância, com matéria de facto assente à prova de bala e direito a condizer, Kees Eijrond, preferiu ficar com o Palacete em vez da indemnização, restaurando as relações com a Câmara Municipal e a Caixa Geral de Depósitos.

Desde aí, a Caixa Geral de Depósitos passou a financiadora do projecto e a Câmara Municipal de Lisboa a “parceira” do projeto nas diversas vicissitudes de licenciamento associadas a um projeto singular numa zona histórica da capital. Tal foi salientado por Kees Eijrond ao dirigir-se aos presidentes da Câmara e da Caixa, sentados à sua mesa.

Hoje, o Verride Palácio Santa Catarina é uma realidade e um sucesso. A Valadas Coriel & Associados está orgulhosa em ter contribuído para este desfecho, por um lado em ter contribuído para oferecer à cidade de Lisboa este projeto monumental de recuperação do património arquitetónico e por outro, para nós o mais importante, o da Justiça ter prevalecido, do cidadão comum ter enfrentado e vencido com lealdade a administração e os personagens que a manipularam para as suas baixas besonhas.